Escutar com o coração

“Sempre vejo anunciados cursos de oratória. Nunca vi anunciando curso de escutatória. Todo mundo quer aprender a falar. Ninguém quer aprender a ouvir. Pensei em oferecer um curso de escutatória. Mas acho que ninguém vai se matricular. Escutar é complicado e sutil…”

Rubem Alves

Não sei se para outros praticantes acontece da mesma forma, mas eu às vezes tenho a impressão de que meu Si Fu se comunica comigo através de silêncios. Creio que isso seja, de longe, algo extraordinário, pois demonstra uma sintonia entre mestre e discípulo. Isso não é obra nem do acaso e nem do oculto. É Kung Fu.

Mesmo trabalhando com sala de aula o dia todo, eu particularmente prefiro ouvir mais do que falar e isso se reflete na minha relação com meu Si Fu. Raramente nos falamos por telefone ou mensageiro. Mas, quando aparece a oportunidade, nossas conversas são profundas e enriquecedoras.

photo5046399256847558739
Si Fu, Mestre Julio Camacho,  contando algumas histórias sobre o Patriarca Moy Yat

Chegam a serem engraçadas determinadas situações. Muitas vezes, faço mentalmente algumas reflexões sobre assuntos diversos e quando encontro Si Fu, ele externa exatamente o que eu estava pensando. Eu cá com meus botões: “puxa vida, Si Fu pensou a mesma coisa!”

Certa vez, meu mestre comentou acerca das três guerras travadas pelo ser humano, segundo a lógica chinesa. Uma delas é a guerra da língua. Saber falar , como e quando são habilidades também a serem desenvolvidas e o Ving Tsun nos auxilia neste sentido. Na atualidade, onde as palavras são interpretadas, muitas das vezes, no pior sentido possível, ter o discernimento para usá-las (ou não usá-las) é crucial.

 

photo5046399256847558740
Início meu processo discipular, em 2018.

Claro que neste processo de Vida-Kung Fu há falhas na comunicação, certamente de minha parte. Por vezes, por não estar atenta à alguma situação, perco a conexão e deixo de compreender algo que é importante. Em outras épocas, isso me consumiria o espírito, pois tenho a tendência de me cobrar de forma negativa. Mas, lidar com as frustrações também faz parte do desenvolvimento humano.

Há uma frase do Si Taai Gung, Patriarca Moy Yat em que diz: “O órgão que a gente deve usar para ouvir é o coração”. Isso traduz bem o sentido de Vida-Kung Fu, que requer comunicação, mas não necessariamente através de palavras, para que se propicie o aprendizado. A experiência trouxe ao meu Si Fu a arte da “escutatória” (como diria Rubem Alves) e com certeza é através do coração.

photo5048651056661243910
Esse registro foi tirado em maio de 2019 e essa conversa irá ressoar para daqui a há alguns anos

Eu sou muito grata ao meu Si Fu por estar sempre disposto a me ouvir, mesmo que eu não diga nada. Só no olhar, ele já diz tudo.

Escute com o coração e sigamos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s